1. next talks

Desenvolvimento de Sistemas: a tecnologia a serviço dos clientes do next

Saiba como é o dia a dia da área de Desenvolvimento de Sistemas no next e como os profissionais transformam, com a tecnologia, desejos em realidade para os clientes
Juliano Zapelini
Por Juliano Zapelini
08 de jul de 2022
2 minutos de leitura
Artigos Relacionados
A imagem tem fundo verde. À esquerda vemos o logo do next, centralizado. À direita, em primeiro plano, está escrito “Tecnologia”, na cor preta, e ao fundo há diversas vezes a mesma palavra repetida, com fonte menor e na cor branca.

A tecnologia está em tudo e é muito abrangente. E imagine o quanto ela é essencial para o funcionamento de uma empresa como o next. Para decifrar uma das vertentes muito relevantes desta área, a de Desenvolvimento de Sistemas, o What’s next convidou Juliano Zapelini, analista de sistemas sênior da plataforma digital, para apresentar um pouco do dia a dia da equipe que materializa os desejos (dos clientes e das áreas de negócio ou estratégicas internamente).

O dia a dia da área

A área de tecnologia do next é formada por inúmeras vertentes, como Analytics, CRM, Segurança, DevOps, Infraestrutura e Desenvolvimento de Sistemas, esta última com a premissa de transformar ideias em software. Seja criar uma plataforma digital do zero, como fizeram com o next, ou mantê-la em pleno funcionamento no dia a dia, com softwares que solucionem pequenos ou grandes problemas.

A atuação da área de tecnologia focada em Desenvolvimento de Sistemas começa quando determinada área envia um pedido de um novo sistema, por exemplo. O pedido vem acompanhado de todas as especificações que se espera dele quando estiver pronto.

Independentemente da demanda, o trabalho do time é dividido em sete etapas:

Requisito: descrição da necessidade, do ponto de vista do usuário, de qual é o problema e como o next pode resolvê-lo.

Especificação técnica: análise do que fora requisitado e desenho de uma solução técnica de como transformar o pedido em um software.

Avaliação: o time leva o desenho técnico para diversas áreas, como Arquitetura, Engenharia, Segurança Corporativa etc., para avaliarem se o projeto faz sentido.

Desenvolvimento: é a hora de pegar o desenho técnico e debruçar em cima do projeto para resolver todas as tarefas propostas. O software então sai do papel se transforma em realidade neste período.

Testes: este é o momento mais crucial do projeto, visto que são realizados os mais variados testes para ter a certeza de que o software desenvolvido atende à necessidade que a área deseja. Há um time especializado que garante a qualidade do software, o testando de ponta a ponta, e resolvendo eventuais problemas.

Implantação: por fim, chega a hora de implantar o projeto que é quando acontece a virada de chave do time de Desenvolvimento de Sistemas para colocá-lo no ar.

Sustentação: neste momento, o time acompanha todos os indicadores do projeto implantado para garantir o seu pleno funcionamento.

Como a tecnologia ajuda a “roda” do next a girar

Uma empresa com mais de 10 milhões de clientes e com mais de mil funcionários, em constante expansão, precisa diariamente da força-tarefa de todas as áreas para entregar os melhores produtos aos clientes. Todas as áreas são importantes no processo, mas a de tecnologia na representação do time de Desenvolvimento de Sistemas é quem criou a “roda”, ou seja, desde a concepção do next, em 2017, fez com que uma ideia se transformasse em realidade.

A interferência do trabalho na experiência do cliente

Apesar de não haver o contato direto dos funcionários da área de tecnologia do next com os clientes, a experiência final deles é 100% afetada pelo trabalho desenvolvido pela equipe. Afinal, o cliente sempre está em contato com algo que algum desenvolvedor produziu, seja o app do next, o site, o e-mail, o chat etc. Tudo isso foi produzido pela área e a experiência daquilo que o cliente está tocando, usando na prática no seu dia a dia, vem da tecnologia.